O Abocanhado

Pensa num lugar de tirar o fôlego… agora multiplica por 10…e ainda assim vai estar longe da vista que vais ter o prazer de apreciar enquanto janta no Restaurante “O Abocanhado”…

Me acompanha nesse jantar e espero que aprecie como eu apreciei… Quando passar pelo Gerês não deixe de ir ao “O Abocanhado”… almoçar ou jantar… recomendo que faça reserva previamente… para que possa conseguir um lugar privilegiado como o que conseguimos..

Apanhamos um dia sem vento e céu limpo… apreciamos o pôr do sol durante todo o jantar… não querendo ser piegas…vimos um espectáculo da natureza durante o nosso jantar… e isso tudo acompanhado de uma comida fantástica… que ja irei apresentar para vocês em fotos…

Esta semana estávamos relembrando o jantar…e sabe qual foi a primeira palavra que nos veio a cabeça? PAZ!! o local te transmite uma paz muito grande pela beleza… pela comida e pelo atendimento… os colaboradores são muito queridos mas sem ficar chateando o tempo todo… não fazem qualquer pressão para liberar mesas… deixam as pessoas bem a vontade para apreciar o pôr do sol… ou seja… são pelo menos 2 horas de paz…nesse lugar fantástico no meio do Parque do Gerês…

Vamos agora para a melhor parte… depois da vista… sem dúvida é a comida… optamos na entrada por morcela com puré (chutney) de maçã….adorei e vou fazer em casa sem duvida… devido ao calor, eu acompanhei meu jantar com um jarro de limonada com hortelã bem fresquinha… o Rui optou pelo vinho branco…

Para prato principal, escolhemos a Tibornada de Bacalhau…que nada mais é que: Bacalhau grelhado, lascado em cama de morcela e legumes, regado com azeite, alho e cebola… acompanhado com batata a murro e broa de milho frita…. estava m a r a v i l h o s o prato…eu optei pela carne: Posta à Abocanhado… que era a posta de alcatra grelhada acompanhada com trouxe de couve de migas e batata a murro… tão boa quanto o bacalhau… ousava afirmar que qualquer prato teria sido uma boa opção…

Seguimos admirando a paisagem… não resistimos e optamos pela sobremesa dos gulosos…. aonde temos 3 sobremesas “pré definidas” + 1 à escolha do chefe… a nossa escolha foi a uva…que jogou muito bem com as demais….porque tirava o doce excessivo e nos permitia comer tudo!!!

Quando o sol acabou de se pôr…. tomamos o nosso café e voltamos para a Caniçada…aonde estávamos hospedados…

Com esse jantar… encerramos a nossa semana de férias no Parque do Gerês…

Ao nivel de preço… achei bastante justo para o que comemos…além de que a vista não teria preço… mas essa foi oferecida!

Espero que tenham viajado comigo nesse lugar maravilhoso…e que tenham ficado com água na boca. Quando tiverem a oportunidade de ir ao Gerês… não deixem de experimentar esse restaurante… “O Abocanhado” … o restaurante fica próximo de Vilarinho das Furnas…

Se gostaria de mais informações….deixe seu comentário… se ja conhece… partilha comigo a sua opinião…

Até breve com mais novidades em Naboavida.blog…

Bar do Rio – Paragem no meio da Ecovia Arcos-Sistelo

Esta semana fizemos um dos trechos da Ecovia do Vez….entre Arcos de Valdevez e Sistelo… após caminhar 1h30m paramos numa praia fluvial que tinha um bar de Tapas…. o Bar do Rio!!

Foi uma agradavel surpresa… bar de tapas com muito bom ambiente e muito bem decorado…. ótimo para recarregar as baterias para fazer o retorno ou continuar até o Sistelo…no nosso caso, voltamos para Arcos porque ainda seguimos viagem até ao Gerês.

Bebemos uma Imperial e uma sommersby bem geladinhas com um belo hamburger com btatas fritas rústicas… muito bom !!

Neste bar podes aproveitar para dar um mergulho na praia fluvial…

Espero que tenha curtido o espaço e a dica do passei, que pode ser realizado a pé ou de bicicleta…

Você já conhece? Na próxima vez vamos trazer as bikes para fazer o trecho completo…até a próxima Naboavida.blog

MEET Vincent Van Gogh – Em Lisboa

Este fim de semana finalmente fui visitar a exposição interativa de Vincent Van Gogh que esteve em Paris ano passado, e que não conseguimos ver quando estive lá… porque os bilhetes estavam esgotados…

A exposição encontra-se no Terreiro das Missas, em Belém. O espaço está muito bem preparado para a fase de pós confinamento… limite de pessoas nas áreas da exposição, máscara obrigatória em todo o percurso, distância social controlada e álcool gel na entrada e na saída… em momento algum me senti desconfortável…

A exposição é bastante fora do vulgar… visto que existe uma narrativa da vida do Van Gogh durante todo o percurso. As explicações e falas são de acordo com o local em que esteja posicionado… é bastante interessante, conhecer os países por onde ele passou….como se tornou um pintor e algumas curiosidades da sua vida e da sua morte também… recomendo que vá assistir… toda a narrativa é feita baseada em cartas deixadas pelo próprio Vincent…

Enquanto anda pela exposição…também pode exercitar a sua veia artística ou “sentir” um pouco do que foi o dia a dia do artista…

Se gostaria de obter mais detalhes sobre a exposição, poderá encontrar no site oficial : https://meetvincent.com/lisbon/

Partilho algumas fotos, que por serem apenas projeções, sem obras originais, são autorizadas durante toda a experiência… podemos ver as imagens dos quadros famosos do artista… o vaso de girassóis, a Casa Amarela, o Quarto, Auto-retrato com a orelha cortada,…

Não deixe de visitar a exposição… porque a experiência é bastante interessante e muito diferente de visitar um museu… Eu já tive a oportunidade de visitar o Museu Van Gogh em Amsterdão e tinha gostado muito… mas essa experiência é completamente diferente…

Espero que tenha gostado do post…e recomendo a visita!

Até a próxima…. Naboavida.blog

Turquia Espetacular – Férias (Dia 1 – Istambul)

Dia 1 – Istambul

O nosso primeiro dia de excursão foi pela cidade de Istambul, com especial incidência para a zona histórica, aonde pudemos ver as casas tradicionais de Istambul… feitas de madeira… essas casas tinha uma curiosidade… os balcões sobressaídos para que fosse possível ver a porta de entrada… como podem observar abaixo…

O passeio teve como ponto de partida a Praça de Sultanahmet que ocupa atualmente o lugar do antigo Hipódromo Romano (330 d.C.) e do qual ainda podemos ver alguns vestígios como é o caso do obelisco egípcio e da coluna serpentina.

Após, fomos à Mesquita Azul, com os seus seis minaretes e níveis de cúpulas. É um dos edifícios mais marcantes da cidade. Construída como uma rival islâmica para Santa Sofia, em 1609, é um dos melhores exemplos da arquitetura otomana.

Um pouco mais de informação sobre Mesquita Azul ou Mesquita do Sultão Amade (em turcoSultanahmet Camii) é uma mesquita otomana de IstambulTurquia. Foi construída entre 1609 e 1616 e está situada no bairro de Eminönü, no distrito de Fatih em frente da Basílica de Santa Sofia da qual se encontra separada por um formoso espaço ajardinado. É a única mesquita de Istambul que possui seis minaretes.

A Mesquita Azul é um triunfo em harmonia, proporção e elegância. Construída em um estilo clássico otomano, o seu magnífico exterior não faz sombra a seu suntuoso interior. Uma verdadeira sinfonia de belos mosaicos azuis de Iznik dão a este espaço uma atmosfera muito especial. Os imperadores bizantinos construíram um grande palácio onde se encontra hoje a Mesquita Azul. Em 1606 o sultão Amade I quis construir uma mesquita maior, mais imponente e mais bonita do que a Igreja de Santa Sofia.

As mesquitas geralmente eram construídas com um intuito de serviço público. Existiam diversos prédios ao lado da Mesquita Azul que incluem: escola de teologia, uma sauna turca, uma cozinha que fornecia sopa aos pobres, e lojas (o Bazar Arasta), cujas rendas se destinavam a financiar o complexo.

A mesquita foi revestida com azulejos azuis e possui ricos vitrais também do mesmo tom. Não há figuras no interior da Mesquita pois os muçulmanos não cultuam imagens.

Ao entrar na Mesquita é necessário tirar os sapatos. Shortes, minissaias, bermudas ou camisetas sem mangas não são recomendados. Funcionários da mesquita fornecem uma espécie de canga para cobrir as partes do corpo que desrespeitam a religião muçulmana. Ela tem 43 metros de altura.”

Neste dia, assim como em todos os outros, estava um calor muito grande… e um aviso que nos deram foi para evitar roupas decotadas e curtas… resumindo… passei um calor enorme!!! Apesar da roupa ser “decente”… tive que vestir uma saia lindaaaaaaa por cima das calças… e colocar a écharpe como véu…Podem conferir nas fotos a figurinha que eu estava fazendo…com minha écharpe colorida…

Tivemos uma cena muito engraçada dentro da mesquita… resolvemos sentar no chão para descansar e tirar fotos… quando vemos… tinha uns chineses tirando foto da gente….e do nada…para um grupo de turistas em volta da gente… resultado… não conseguíamos levantar para ir embora enquanto o guia não acabou todo o discurso… claro que não conseguia parar de rir… e via o Rui passando e nos procurando… claro que não nos encontrava porque estávamos lá no meio…. impossível sermos vistas…admirem nas fotos abaixo os vitrais…

Na praça ergue-se outro magnífico monumento, a basílica de Santa Sofia, um dos maiores edifícios do mundo bizantino. É famosa pelo seu tamanho impressionante, arquitetura marcante e belos mosaicos e frescos. Construída no século VI como catedral, permaneceu como a igreja mais importante do cristianismo durante mais de 900 anos. No século XV, Mehmet II conquistou a cidade e converteu este edifício em mesquita. Assim permaneceu durante 481 anos, até a fundação da República turca laica, em 1934, altura em que foi transformada em museu.

No caminho entre a Mesquita e a basílica era um mar de gente… quase impossível tirarmos uma foto sozinhos… aliás…em qualquer lugar nesse dia era uma luta tirar fotos sossegados…

Fizemos também a visita à Cisterna bizantina da Yerebatan, a reserva de água mais importante da cidade na época bizantina (construída no século VI). A Cisterna é história nos subterrâneos…é a maior das cisternas da cidade com capacidade de armazenar 80,000 metroscubicos de água. Pela grandeza de área que cobre a cisterna, também é mencionada como “Palácio Submerso” em muitos livros. Na antiguidade, as cisternas eram essenciais em períodos de seca ou durante a invasão do inimigo, dava para virar o jogo dos Bizantinos tendo autonomia de agua.

Foi contruída pelo imperador Justiniano durante época dourada do lmperio. Era o principal reservatório do palácio, alimentado pelo aqueduto romano. No total tem 336 colunas, colocados a cada 4 m.

Ao fundo e à esquerda fica a principal atração da visita. Duas esculturas de cabeças de medusa servem de base para duas pilastras, uma deles está de cabeça para baixo, a outra deitada de lado. Os motivos pelos quais as medusas foram usadas para sustentar essas duas colunas e por que elas estão posicionadas essa forma permanecem desconhecidos.

Há quem diga que tenha algo a ver com manter maus espíritos e energias longe dali. Outros afirmam que na verdade elas foram reaproveitadas de uma construção do Império Romano. Seja como for, elas ajudam a manter a atmosfera misteriosa do lugar.

Muitos séculos se passaram entre o redescobrimento das cisternas e a abertura para a visitação pública. Foi apenas em 1987 que a prefeitura de Istambul resolveu limpar, restaurar e explorar o potencial turístico do local. Hoje, podemos acessar a cisterna através de uma entrada próxima à Hagia Sofia. Após descer um lance de escadas em direção ao subsolo da cidade, é possível explorar a construção através de passarelas construídas em toda sua extensão.

Perto das Medusas há uma fonte dos desejos, uma parte da galeria onde você pode jogar uma moeda e fazer um pedido (apesar de que as pessoas fazem isso em qualquer lugar, como vocês podem ver na foto acima). Eu fiz um pedido…você faria?

Atravessaremos a famosa ponte do Bósforo que liga a Europa à Ásia para uma visita panorâmica do lado asiático da cidade.

Em seguida fomos visitar o Palácio de Topkapi… que foi residência de sultões por 4 séculos…

O mais curioso é que pela dimensão das divisões e números de assentos encontrados nas divisões, nos diversos sofás… consegues imaginar o harém espalhado pelo jardim e repousando nessas diferente salas… confira pelas fotos… o jardim é lindo!!

Para completar tem a vista do Bósforo…uma paisagem muito bonita…com uma vista linda…

Para encerrar o dia, tivemos tempo livre no Grande Bazar, um dos maiores mercados cobertos do mundo, com 60 ruas e 5.000 estabelecimentos comerciais, que atrai entre 250.000 e 400.000 visitantes diários.

É bem conhecido pela sua joalharia, cerâmica pintada à mão, tapetes, bordados, especiarias e lojas de antiguidades. Muitas das lojas no bazar são agrupadas por tipo de bens, com áreas especiais para couro, jóias de ouro, etc.

Do lado de fora do Grande Bazar, assim como em diversos pontos da cidade, podíamos ver os “sorveteiros acrobatas” que brincavam com os clientes e com os cones de sorvete… fazendo malabarismos com os sorvetes…como podem verificar

E desta forma encerramos o primeiro dia da excursão… nos próximos iremos visitar os seguintes lugares:

Dia 2 – Istambul / Ankara

Dia 3 – Ankara / Capadócia

Dia 4 – Capadócia

Dia 5 – Capadócia / Konya / Pamukale

Dia 6 – Pamukale / Éfeso / Izmir

Dia 7 – Izmir / Pérgamo / Tróia / Çanakkale

Dia 8 – Çanakkale / Istambul

Dia 9 – Istambul

Dia 10 – Retorno à Lisboa

Em breve o post do dia 2 – Ankara, com dicas de locais a visitar e fotos para confirmarem o que falo…

Espero que tenham viajado comigo por Istambul neste post… Se gostaria de acompanhar essa viagem…não deixe de seguir Naboavida.blog…

Portas da Madeira

No Funchal, na Ilha da Madeira, ao andar pela cidade vais ter o prazer de admirar a arte de diversos artistas que se expressaram pintando as portas da cidade… verdadeiras obras de arte…confira abaixo:

Espero que tenha gostado dessa arte urbana…e que tenha o prazer de andar pelas ruas da Ilha da Madeira e apreciar esta galeria de arte a céu aberto…. qual porta você mais gostou?? a minha preferida é a da Sereia com o golfinho…e a sua?

Em breve novos posts com o resto da viagem da Ilha da Madeira….espero que apreciem!

Naboavida.blog

António Padeiro – uma opção tradicional de Alcobaça

De tarde tínhamos almoçado no Pratus porque fomos reservar o António Padeiro para a noite… O Antonio Padeiro encontras na lista dos melhores restaurantes de Alcobaça… e efetivamente confirmamos… Como ainda não tínhamos sequer digerido totalmente o almoço… optamos por comer como entrada apenas os pães os 3 tipos de manteiga que existiam na bandeija das entradas… se optássemos pelas entradas, certamente não iríamos aproveitar o jantar… mas pelo aspecto eu recomendaria…

A decoração é bastante curiosa, um mix de painel de viagens, coleções de moedas, lustres variados, assim como as cadeiras… em resumo… ao mesmo tempo que segue o tradicional, era moderno pela variedade e criatividade que apresentava… gostei!

Optamos pelo prato de carne – posta de novilho para 2 pessoas… acompanhado de batatas fritas caseiras e esparregado… pelo aspecto da foto abaixo, acredito que consigam tirar as suas conclusões, sem que eu precise influenciar…

Para sobremesa optei pela tarte avelã coberta com caramelo… o Rui optou pelo leite creme… ambos deliciosos… o pior de tudo é escolher no tabuleiro de sobremesas que existe… loucura total!!!!

Espero que tenha comido com os olhos as delicias que aqui deixo… e que tenha a oportunidade de um dia experimentar… eu com certeza ainda volto lá para experimentar os outros pratos, entradas e sobremesas 😉

Se gostou ou deseja alguma informação, deixe seu gosto e seus comentários… até a próxima Naboavida.blog!!!

Restaurante Tombalobos – Portalegre

No último Domingo, durante um passeio pelo Alentejo…  passamos por Portalegre e resolvemos parar para almoçar… Como não conhecíamos nenhum restaurante, nem nos tinham feito qualquer recomendação, resolvemos escolher pelas indicações do TripAdvisor… encontramos o Restaurante Tombalobos e fomos experimentar…

O que achamos do restaurante? Adoramos!!! Segundo quem nos atendeu… o restautrante foi construído numa parte de um antigo convento… daí o tipo de arquitectura encontrada… apesar do estilo do restaurante… é um restaurante alentejano, mas com uma decoração muito atual… com um ambiente  muito acolhedor… Quanto ao atendimento, as pessoas que nos atenderam foram muito simpáticas,  atendimento rápido… não perdemos uma tarde de passeio a almoçar… Não tínhamos feito reserva, mas conseguimos uma mesa bastante simpática… Tinha desde almoços de família a acontecer… até turistas,como nós, que estavam degustando as maravilhas da culinária alentejana…

O menu não é demasiado extenso, mas possui bastante alternativas de pratos… Não fomos muito criativos, ambos optaram pelo porco preto… eu escolhi as barriguinhas de porco preto no forno, com migas de farinheira de acompanhamento…. o Rui optou pelas bochechas de porco preto grelhadas com espinafres e batatas… A carne estava extremamente macia… com um sabor divinal!! tanto um prato quanto o outro… acompanhamos com vinho branco… que para mim…foi perfeito… visto o dia estar extremamente quente… e o vinho branco fresquinho… caiu muito bem!!

O restaurante apesar de ser do “tipo gourmet”… não era gourmet no tamanho das doses… comemos…. partilhamos um com o outro para provarmos os dois pratos… e saímos bastante satisfeitos… optamos por não comer entradas… mas claro… que não deixamos de comer a sobremesa… eu comi o torrão real… um doce conventual… muito bom… mas não ficou nos meus preferidos…. o Rui, para variar, optou pelo leite creme queimado na hora… estava muito bom!!! 

Resumindo…Recomendo!! o preço é bastante justo para o nível da comida que comemos, ambiente e atendimento… se tiverem oportunidade… ao passarem por Portalegre… não deixem de experimentar o Restaurante Tombalobos… se já conhece… deixa seu comentário… e o que achou… se não conhece…. quando for, comente…se concorda ou não comigo…

Espero que tenham gostado…e até o próximo Naboavida.blog… 

Monte Saint Michel

Sabe aquele lugar que você sempre ouviu falar… viu fotos… e diz… gostava tanto de ir lá!! e de repente tenho que ficar um Domingo em Paris por causa do trabalho… e uma amiga me sugere… por que não vai ao Monte Saint Michel? Primeira reação foi… é muito longe… tá doida… vou ficar morta para trabalhar na 2ªf… Depois vou verificar as hipóteses… e as menos cansativas… Existiam 3 hipóteses:

1 – Excursão: em autocarro

2 – Por conta própria – Comboios intercidades

3 – Por conta própria –  TGV

Proponho a uma colega de trabalho o passeio… e vi receptividade… pronto… já tá… agora vamos ter que ir… 🙂

Após verificar as 3 hipóteses, decidimos que o comboio seria menos cansativo… e o TGV apesar de ser mais caro… era o meio mais rápido e menos cansativo… para quem tenha mais tempo… recomendo o intercidade, fizemos um “mix” , fomos nos TGV que sai da Gare de Montparnasse das 08:09 até Dol De Bretagne, com chegada às 10:43 (os tickets podem ser comprados com antecedência na própria gare e também é possível comprar online – TGV = 87 Euros; Intercidade= 27 Euros). Os tickets são comprados “conjugados” com os autocarros (8 euros), tanto o de ida quanto o de volta, tudo correu lindamente… no horário previsto e sem qualquer stress, os transportes realmente funcionam em França… Em Dol de Bretagne, apanhamos o autocarro que nos levava até a cidade de Saint Michel, que dá acesso ao Monte Saint Michel e que também tem uma vanete gratuita que leva e traz até ao monte… e ainda tem como hipótese…ir numa charrete…

Optamos por ir andando até o Monte… e apreciando a linda paisagem… O que acha? Não vale a pena a caminhada?

Na volta, apanhamos o autocarro no mesmo local, partimos às 18:06… em direcção a vila de Villedieu Poelles (chegada às 18:51), e o comboio Intercidade saiu às 19:06, tendo duração de 4 horas (chegada às 22:05 à gare de Montparnasse).

Como podem verificar, a duração da viagem é inversamente proporcional ao preço do bilhete… quanto menos demora… mais se paga… mas valeu a pena a conjugação da ida de TGV e o retorno de intercidades, os comboios são muito confortáveis… não se sente passar o tempo… a paisagem é linda… principalmente a do fim do dia… por isso… mais um prazer do que propriamente uma viagem cansativa… recomendo!!! Estivemos durante 6 horas visitando o monte, o que verifiquei ser suficiente…

Ao chegar a vila de Saint Michel… já estará a apreciar a paisagem fantástica do monte… da ponte que liga ao monte e também poderá observar “formiguinhas” andando pela areia…

É isso mesmo… parecem formigas… diversos pequenos grupos de pessoas fazendo um dos passeios mais cobiçados de quem vai até ao monte… o passeio pelas areias com um guia…. você deve se perguntar… por que preciso de um guia para andar de uma lado para o outro pela areia? as areias anualmente apanham de surpresa alguns turistas e pode ocorrer uma fatalidade… além de não conhecermos bem as marés e podermos ser apanhados de surpresa quando a maré está a encher… também existe o risco de areia movediça… achava que não existia? que era uma lenda… pois não é… existe e pode ser supreeendido no caminho para o monte, a areia é escorregadia e tem pontos de areia movediça… Este passeio não cheguei a fazer, mas ainda volto lá para fazer 3 coisas:

  • Passeio guiado pelas areias
  • Ver o castelo iluminado a noite
  • Dormir dentro do monte para poder assistir o subir e descer das marés

Mas vou relatar o que aproveitei nesse dia… ao entrar nas muralhas do Monte Saint Michel… parece que voltamos no tempo… e estamos algures na idade média… é simplesmente encantador andar pelas ruelas estreitas…

Sempre a subir em direção à Abadia (pode-se comprar o bilhete antecipadamente no site), principal monumento encontrado no monte…. A abadia é desde 1979 classificada como património mundial da UNESCO Agora vou deixar aqui um pouco mais da história:

“O Monte Saint-Michel (francês Mont Saint-Michel) é uma ilha rochosa na foz do Rio Couesnon, no departamento da Mancha, na França, onde foi construído uma abadia (abadia do Monte Saint-Michel) e santuário em homenagem ao arcanjo São Miguel. Seu antigo nome é “Monte Saint-Michel em perigo do mar” (Mons Sancti Michaeli in periculo mari).

Este mosteiro, fortificado no século XIII, integra um conjunto com mais três cidades cujas fortificações e desenvolvimento são notáveis: Aigues-Mortes (1270-1276), ponto de reunião dos Cruzados rumo à Terra Santa, Carcassone, célebre por suas defesas, e Avinhão, sede alternativa da Cristandade (1309-1377). Estas cidades fortificadas, denominadas “bastides” marcavam a fronteira dos reinos ao final da Idade Média, servindo como elementos de defesa e dando ao povo novas oportunidades sociais. Foram construídas mais de 300 só na França, entre os anos de 1220 e 1350. Além das “bastides”, foram projetadas e construídas em toda a Europa, de Portugal à Polônia, e nomeadamente no sudoeste da França, entre 1136 e 1270 aproximadamente, numerosas “villeneuves” (cidades novas), que muito contribuíram para o nascimento e consolidação de uma classe social burguesa.

Arquitetura:

arquitetura prodigiosa do monte Saint-Michel e sua baía constituem o ponto turístico mais frequentado da Normandia e um dos primeiros da França, com cerca de 3 200 000 visitantes por ano. Uma estátua de São Miguel colocada no topo da igreja abacial culmina a 170 metros de altura. Diversos prédios e habitações do sítio são, a título individual, classificados como monumentos históricos (a igreja paroquial desde 1909, por exemplo) ou inscritos no inventário suplementar de monumentos históricos.

A vista a partir da Abadia é linda… neste dia… vimos uma cena bastante curiosa… pessoas fazendo praia nas areias em volta do monte… Apesar do dia ter amanhecido “esquisito”… o sol abriu… e bastante forte!!!

Marés:

O monte era ligado ao continente através de um istmo natural que era coberto pelas marés altas. Ao longo dos séculos a planície alagável em torno foi sendo drenada para criação de pastagens, reduzindo a distância do rochedo à terra, e o rio Couesnon foi canalizado, diminuindo seu aporte de água e acelerando o assoreamento da baía. Em 1879 o istmo foi reforçado e tornou-se uma passagem seca perene. Em 2006 o governo francês anunciou um projeto para tornar novamente o monte uma ilha com a construção de barragens, devendo ser completado em 2012. A última linha de trabalho é agora visível ao pé das muralhas.

Ao longo dos anos… o monte foi sofrendo alterações… ao nível de arquitectura… até chegar ao formato actual…

Podes verificar como estava pela manhã a maré….e como estava ao irmos embora…

Hospedagem e Restaurantes

Ao entrar nas imediações da muralha, fiquei bastante surpresa com a hipótese de poder se alojar no interior do monte, adoraria fazer… e fica nos meus planos para uma próxima visita…

Quanto aos restaurantes, escolhemos para almoçar um com vista para a baía, comemos muito bem!! e por um preço bastante simpático, tinham as “famosas” Formules para o almoço e valia mesmo a pena. Não resisti aos “moules et frites” com um copo de vinho branco a acompanhar… e de sobremesa… tarte normande… adorei!!! Podem conferir nas fotos abaixo 🙂

Espero que com esse post… se você ainda não conhece o Monte Saint Michel… possa conhecer um pouquinho através da minha experiência… que não apenas recomendo… como irei voltar um dia para passar a noite no monte…e fazer o passeio gruiado pelas areias…

Qualquer dúvida ou comentário, estejam a vontade em partilhar… o que eu souber ajudo, o que não souber… posso pesquisar…

Logo ao chegar a vila… encontram um centro de turismo… em que as pessoas que lá estão são super simpáticas e disponíveis a esclarecer qualquer dúvida…

Espero que tenham gostado… de mais um post de Naboavida.blog!! se gostou…deixe seu like!

.

Ilhas Maurícias – Desporto e Lazer

Há 10 anos, quando estava a trabalhar em Angola, resolvi num dos flybacks para Portugal, aproveitar para parar na Africa do Sul (nesta época a SAA ainda voava de Angola para Lisboa) e “dar um pulinho” até as Ilhas Maurícias. Por que tive essa idéia? Como fui sozinha… devia ser um lugar que tivesse com o que me entreter durante o dia, de preferência algum desporto… As Maurícias pareceu o destino perfeito… Mergulho e Windsurf num mesmo resort… praias fantásticas, país calmo para visitar sozinha, e um destino que nunca tinha sequer pensado em fazer… e que teria a oportunidade de ir…

Reservei tudo por uma agência… o Indian Resort Hotel e um carro para nāo ficar todo o dia dentro do resort… conhecer a ilha… bingo! boa escolha… hotel fantástico… como tinha um centro de windsurf e um de mergulho… quando nāo tinha vento… mergulhava e vice-versa, quando ficou mal tempo…fui passear até Port Louis (capital das Maurícias)…

Depois de parar em Moçambique, Johannesburg, finalmente cheguei as Maurícias, de noite.. claro!!… 1 dia de viagem para encontrar o paraíso…Ao chegar a locadora… o rapaz que me atende… pergunta…conhece a ilha? claro que nāo!!!! ele olha… pensa… e ri… diz: bem…nós estamos aqui… e o seu hotel é aqui… tipo do outro lado da ilha…e de noite!!!! Mas como tem sempre gente muito boa nesse mundo…ele me diz… espera um minuto…volta e diz…vem comigo! me apresenta um taxista que vai levar um cliente para um resort do lado do meu… e a quem eu devo seguir!!! Bom…logo na saída primeiro mico…māo inglesa… entro do lado errado do carro…começam todos a rir… e ainda bem que fui seguindo alguém…assim eu o seguia também nas rotundas e entradas de ruas… fui direitinho até o resort!!

No dia seguinte… pequeno almoço com a vista abaixo… pensei….isso tem tudo pra correr bem… o que vocês acham??

Agora, vāo viajar um pouco comigo pelo que fiz pela ilha, para perceberem que correu mesmo muito bem… Eu fiquei em Le Morne…

Nāo era o local mais famoso… e aonde as pessoas que conheço que ja visitaram as Maurícias costumam a ficar… normalmente optam por Flic and Flac.. passei por lá um dia..e nāo me arrependo da minha opção de estadia… no resort que fiquei tinha um Club Mistral de Windsurf e uma escola de Mergulho… o que me garantiu ocupaçāo e companhia todos os dias… a equipa do Club Mistral era fantástica…entāo diariamente acordava…pequeno almoço e lá ia eu me sentar no Club Mistral para ver como estava o vento e a que horas eu ia para dentro d’água…ou se eu ia conversar com o pessoal do mergulho… para combinar o meu mergulho do dia… ou se ia dar uma volta de carro pela ilha… Um dos dias chego no club mistral e me dizem…tem uma tempestade se aproximando… com ventos fortíssimos e hoje não vamos operar… pensei…pronto… lá foram as férias para o brejo…mas felizmente… passou mais afastado… do que o que estavam a espera…

Neste dia, aproveitei para ir a Port Louis…conhecer a capital e como era a ‘cidade grande das Maurícias. Fiquei bastante surpreendida com a quantidade de empresas que estavam instaladas.

Na volta, passei por Flic and Flac para ver como era a praia, aproveitei para dar um mergulho…afinal a tarde o tempo já estava fantástico de novo… Infelizmente nāo achei nenhuma foto da praia… naquela época nao usava o telemóvel para fotografar… nāo tinha selfies… era só câmeras mesmo…

Voltando para os lugares por onde passei… todos os dias dava uma voltinha para conhecer algum lugar novo… um dos pontos turísticos na ilha… é o Parque Chamarel… aonde podemos encontrar as 7 cores de terra (Essa incrível paisagem se formou pela ação erosiva do solo de basalto e pela combinação de seus minerais com a chuva. Esse coquetel, junto com o clima cálido, favorece a decomposição da argila no exterior. Mais surpreendente ainda é o fato de as cores estarem separadas por camadas. Ou seja, se você misturar a terra de diferentes cores, ela acaba se separando novamente por camadas.)

No mesmo local aonde encontramos as 7 cores da terra, encontramos as tartarugas gigantes…

No mesmo parque encontramos as cascatas de Chamarel… Maurícias nāo é apenas praia… tem muito mais paisagens para serem admiradas.

Do Parque também temos uma vista privilegiada do mar…

Voltando um pouco para o desporto e para o Resort… O Club Mistral era composto de uma equipa super simpática, que me fez companhia todo o tempo em que eu estava na praia..Sempre que você se disponibiliza a ir para um local de desporto… com certeza irá encontrar outras pessoas que estão lá com o mesmo propósito que você… por isso dificilmente se sente sozinho…

Quando nāo estava com o grupo do windsurf…estava com o grupo do mergulho… que muitos dias me fizeram companhia também no jantar… pessoas de diversas nacionalidades estavam lá ou para fazer o batismo, curso de mergulho… ou para aproveitar as férias para mergulhar um pouco… Fiz dois dias de mergulho… o primeiro fomos para um ponto mais fundo aonde vimos peixes maiores e o segundo para peixes menores… Essas duas figurinhas eram os dive masters do mergulho… super divertidos e profissionais… Estava eu distraída tirando foto da manta que passava….até que o dive master puxa minha barbatana… vinha o tubarão e eu nao tinha visto…

Ao ir para os pontos de mergulho….passávamos pelo pessoal que fazia windsurf e kite após a a arrebentação… uma barreira que existia..e que fazia uma lagoa mais a frente…e depois ficava mar aberto..

A praia do resort era uma delicia…e se cansasse de ficar na praia tinha a hipótese de ir fazer massagem no spa… ou ficar numa das 3 piscinas disponíveis no resort… (nāo encontrei essas fotos… mas que tinha… tinha… foi pena…)

Quanto a noite… tinham 3 hipóteses de restaurantes para jantar… um internacional…um de grelhados… e um indiano… Claro que experimentei todos.. e diariamente tinha shows diversos a noite…ou seja… nunca me senti sozinha nesta viagem… a noite os companheiros de mergulho vinham ter comigo para ver as fotos… No dia que ia ter a festa na praia com o pessoal do mergulho… tive pena porque choveu muito a noite e nāo teve a festa…

Se gostou… ou ficou com vontade de se aventurar sozinho numas viagem… como eu já fiz algumas… deixe seu comentário… e seu like… se quiser algumas dicas ou recomendações… estejam a vontade… será um prazer ajudar..

Até breve em NaBoaVida.blog!!

Foto do dia #9

Almoçando e admirando o sol… rampa do Centro Náutico do Clube Desportivo de Paço de Arcos

Carnaval em Salvador – Você já foi??

Recordar é viver… Quando ainda morava no Brasil, adorava passar o Carnaval em Salvador, em 2005 nāo resisti… fui de novo!!!!

Já estava morando em Portugal desde o Ano 2000, e passar o Carnaval longe do Brasil me custava tanto quanto passar o Natal longe da família… mas o Natal eu nāo falhava e ia sempre passar com a família. Finalmente decidi em 2005 trocar as datas… passei meu aniversário e o Carnaval no Brasil…mais precisamente em Salvador!!! Sempre gostei de sair nos Blocos… principalmente os do Chiclete com Banana (“Camaleāo”), ou nos blocos  do Asa de Águia (“Me Abraça”)… Adorava!!!!! Me acabava de dançar e de me divertir!!!

Antes ou após o Carnaval, sempre íamos dar o passeio turístico para as compras no Mercado Modelo…e passear pelo Pelourinho!!! Adoro o ambiente, ver a apresentação da capoeira no Mercado, apanhar o Elevador Lacerda para subir até o Pelourinho….e muitas vezes também ia a Igreja do Bonfim para agradecer e rezar por mais um ano!!

Outra sugestão pós carnaval, que ja fiz uma vez…é apanhar o barco, que sai do porto em frente ao Mercado Modelo para Morro de Sāo Paulo… quando fui… eram 4 horas de barco… a experiência no barco nāo foi das melhores… mas atualmente tem lanchas que vāo muito mais rápido e nāo enjoamos… Morro de Sāo Paulo é fantástico… pena nāo ter fotos digitalizadas para partilhar…. quando  for ao Rio vou digitalizar… e atualizo o post…

Quem nunca foi à Bahia… se tiver oportunidade… nāo perca essa chance… é uma terra mística e cheia de encantos… adoro!!! Visitem o Farol da Barra, Praia do Forte, Costa do Sauípe… Se conseguir estender o passeio, deve ir também a Porto Seguro, Trancoso, Arraial d’Ajuda…tantos lugares lindos para visitar!!! Um dos Estados mais bonitos do Brasil, sem duvida…e mais alegre também!!! Adoro a Bahia e se você for…vai adorar também!!

Espero que tenha apreciado a minha experiência e que tenha ficado com vontade de visitar a Bahia… e conhecer o baianos e baianas!! comer um acarajé da baiana da rua… ou ir ao Restaurante da Dadá ou ao Yemanjá comer o que há de melhor na gastronomia baiana… adoro!!! moqueca de camarāo, casquinha de siri… fico com água na boca só de lembrar…

Se já conhece, deixe sua opiniāo, se nāo conhece, deixe o que gostaria de conhecer!! Até o próximo post Na Boa Vida.blog!!

Do Porto à Gaia… Pela Ponte D.Luís

Você já foi do Porto à Vila Nova de Gaia (Gaia) caminhando pela Ponte D.Luís?

Na visita que realizei ao Porto recentemente, fizemos o trajeto: Torre dos Clérigos, Estação de São Bento, em seguida fomos até a Sé (Catedral do Porto ), situada no coração do centro histórico da cidade do Porto. A Sé é um dos principais e mais antigos monumentos de Portugal, o início da sua construção data da primeira metade do século XII, e prolongou-se até ao princípio do século XIII. Esse primeiro edifício, em estilo românico, sofreu muitas alterações ao longo dos séculos…

Após visitar a Sé, resolvemos atravessar a Ponte D.Luís, para ir da Cidade do Porto para Vila Nova de Gaia… cruzando o Rio Douro… Esta ponte tem uma particularidade, possui dois tabuleitos de estrutura metálica, sendo que no tabuleiro superior passa o Metro do Porto… e no tabuleiro inferior passam pedestres (peões) e automóveis… Por isso, se vai parar no meio da rua para tirar fotos…porque a vista é mesmo fantástica… esteja atento!!!… porque pode vir o Metro!!! Foi o que me aconteceu… e saí correndo do meio da rua devido a buzina que ouvi!!!

Ao chegar a Gaia, visitamos rapidamente,  porque encontrava-se fechado… o Mosteiro da Serra do Pilar. 

Já cansados de andar…sentamos na mureta, compramos castanhas… que em Portugal é a cara do Outono… e é uma delícia… comemos apreciando a vista que tínhamos da Ribeira do Porto…

Resolvemos não descer a pé para as caves… e valeu super a pena… apanhamos o teleférico que liga a parte superior da ponte D.Luis às Caves no Cais de Gaia… a vista do teleférico é linda… conseguimos apreciar  todo o deck dos barcos e das caves…

Finalmente chegamos ao cais de Gaia para realizar a visitas às Caves, o bilhete que adquirimos para o teleférico, dava direito a uma prova de vinho na Cave da Quinta Santa Eufêmia…

Depois da prova de vinho fomos tomar um bom vinho do Porto…o Porto Calem… Não poderia deixar de comprar um de recordação… para bebermos em casa no retorno para Lisboa… Pode-se comprar em Lisboa? Claro que podemos, mas não tem a mesma graça… aproveitamos para comprar os copos de recordação para relembrarmos quando beber o vinho…

No caminho para as caves, no Centro Histórico de Gaia,  podemos apreciar arte urbana nas paredes dos prédios…como podem verificar nas fotos abaixo…a metade do coelho é do artista Bordallo II, e a parede de pneus infelizmente não consegui descobrir o autor…

Petiscamos algo no mercado de Gaia, um espaço muito giro para visitar e almoçar… e retornamos pelo tabuleiro inferior da Ponte para apreciar o fim de tarde na ribeira do Porto…agora com vista de Gaia… simplesmente lindo o passeio… tomamos uma ginjinha em copo de chocolate para aquecer… apesar de não ter chovido, estava frio….e por vezes sumia o sol…

Voltamos a pé para o Centro do Porto, aonde estávamos hospedados, passando pelo Palácio da Bolsa que parecia realmente lindo e todos recomendam a visita, mas devido ao horário deixamos para uma próxima oportunidade… já que tínhamos combinado de jantar uma francesinha com amigos.(ver o post: http://naboavida.blog/2018/11/03/francesinha-no-porto)

Espero que tenham gostado de mais um passeio com Na Boa Vida… se gostaram deixe seu Like…se gostaria de obter mais dicas sobre o Porto, tem alguma sugestão ou gostaria de deixar sua opinião sobre o post, deixe seu comentário…

Até o próximo post de Na Boa Vida…

Angola – Uma Visita ao Lubango

Nos 8 anos que estive em Angola a trabalho, tive a oportunidade de ir 2 vezes ao Lubango a passeio ( Lubango é uma cidade e município do sul de Angola, situada no planalto da Huíla. É a capital da província da Huíla. Tem cerca de 2 milhões de habitantes).

Para quem nāo conhece, Angola possui paisagens fantásticas e únicas… Uma grande vantagem deste tempo que lá estive, foi a possibilidade de visitar as províncias, normalmente nos feriados prolongados… e testemunhar a realidade deste país, sua cultura, seu povo e me deslumbrar com as suas paisagens encantadoras…

Angola é um país, que apesar de toda a desigualdade social que existe, tudo é motivo de festa, famílias grandes, unidas e que lutam muitas vezes para sobreviver…

Quando se visita o Lubango, normalmente fazemos dois em um, vamos ao Namibe e Lubango. Desta vez, o nosso vôo foi diretamente ao Namibe e subimos a Serra da Leba para chegar ao Lubango, um caminho lindo!! A Serra da Leba é um dos cartões postais de Angola. Verifique se nunca viu esta imagem antes:

 

Ao chegarmos ao topo da Serra e pararmos no Miradouro para as fotos, encontramos uma Festa na Cachoeira… a bebida era refrescada dentro da água fria que corria da cachoeira, colunas enormes de som, alimentadas por um gerador que foi levado para a festa… uma logística impressionante para “a Festa da Cachoeira”… fomos convidados a ficar… por pouco… desistíamos do passeio para ficar na festa… mas como vínhamos de longe… e tínhamos pouco tempo, resolvemos após as fotos seguir viagem… mas foi pena!

Depois de mil fotos tiradas com a Serra da Leba de pano de fundo… seguimos para o nosso destino seguinte… O Cristo Rei de Angola, que fica no Lubango… Ahh pois é… Angola também tem um Cristo Rei… nāo é só o Rio de Janeiro e Lisboa… o Lubango também! e mais uma vez… abençoando sua cidade de braços abertos…

Saindo do Cristo Rei, fomos para a Fenda da Tundavala, lindo!!! simplesmente lindo!! Tive a oportunidade de ver a Tundavala com sol e na segunda vez que fui… com neblina… ou seja, nāo se via rigorosamente nada!

O caminho para lá em 2008 era bastante acindentado, mas em 2013 quando retornei… já estava muito melhor…

2432065620052576823

É nos penhascos da Tundavala que termina o Planalto Central de Angola. Aqui o planalto excede 2200 metros de altitude e cai abruptamente para cerca de 1000 metros de altitude, provocando um desnível deslumbrante com fendas colossais na montanha. Daqui se desfruta uma paisagem magnífica que se estende por dezenas de quilómetros.

Vejam que paisagem deslumbrante… como eu nāo sou muito amiga de altura, nāo consegui tirar fotos muito provocativas… foram mais conservadoras… nāo me aventurei a beira do penhasco…